Alguns tipos de drogas

Autor: 
Fátima Souza

Antes de falar mais sobre tráfico conheça rapidamente algumas das drogas consumidas no mundo.

Maconha

Também apelidada de baseado, erva, tora, bagulho, fininho, beise, a maconha é derivada das folhas de uma planta chamada cannabis sativa, que contém a substância ativa THC-Delta-9, o Tetrahidrocanabinol. É originária da Ásia Central e conhecida há mais de 200 anos. O uso constante pode levar a problemas pulmonares (seu teor de alcatrão é maior do que o do cigarro comum) e até ao câncer, porque nela existe uma substância chamada “benzopireno” um conhecido agente cancerígeno. Há estudos que apontam que a maconha diminui, no homem, a quantidade de testosterona, reduzindo o número de espermatozóides. O homem não fica impotente, mas pode ficar estéril.

maconha
Site marijuana.com
Folha de maconha

Na América do Sul, as primeiras plantações aconteceram no Chile, no século 16. Calcula-se que atualmente 160 milhões de pessoas no mundo façam uso dela. Para conhecer mais, leia o artigo sobre a maconha.

Haxixe

Ele é extraído da própria maconha (uma mistura de cannabis sativa mais resina), mas sua substância ativa é potencializada, ou seja, é muito mais “forte”. Para se ter uma idéia, a maconha tem 2% de THC e o haxixe pode ter 14%. Os maiores produtores de haxixe são o Paquistão, o Nepal, o Líbano, a Turquia, além de alguns países da África. É moldado em pequenas barras ou bolos de cor marrom escura.

Skank

Ele é considerado a “supermaconha”. Cultivado em laboratório, seu efeito é mais concentrado. O índice de THC no skank é de 17.5%. A droga vem da Europa e é mais cara, por isso é conhecida como a “supermaconha dos ricos”. Perda da noção de tempo e espaço, alucinações, pupilas dilatadas, excitação, aumento do apetite por doces, perda da coordenação motora e lapsos de memória são algumas das conseqüências do uso da droga.

Cocaína

As notícias do uso das folhas da planta, que depois derivou a droga, são de 4.500 anos atrás, quando eram usadas pelos índios que as mascavam, hábito chamado de “coquear”. Seu nome é Erythroxylon coca, popularmente chamada de cocaína. Sintetizada em 1859 seu uso afeta no cérebro especialmente as áreas motoras, produzindo agitação intensa. Calafrios, pupilas dilatadas, insônia, sangramento do nariz, emagrecimento são algumas das conseqüências do seu uso. Se for usada durante muito tempo também causa danos cerebrais e aceleração do envelhecimento.

Crack

Crack
Imagem cedida por U.S. Drug Enforcement Administration
Pedras de crack

Ele surgiu em 1985, nas Bahamas. É derivado da planta da coca que é misturada com bicarbonato de sódio ou amônia e água, resultando em “pedras” que são fumadas em cachimbos. É muito usado por jovens das classes mais pobres porque é mais barato do que a cocaína. Seus efeitos duram menos tempo e ele vicia mais rápido do que outras drogas. Seus efeitos são tão devastadores que os traficantes de São Paulo (os das ruas e os que estão nas cadeias) proibiram a venda e o uso do crack porque ele tira tanto seu usuário da “razão” que ele não paga as dívidas. Além disso, é conhecido como a droga que mata (por seus efeitos danosos ao organismo) e os traficantes preferem seus clientes “vivos”. Agindo sobre o sistema nervoso central o crack gera aceleração dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterial, tremores, dilatação da pupila, suores intensos. Sensação de euforia e poder são seus efeitos psicológicos. Para saber mais sobre a droga leia como funciona o crack.

Merla

É derivada da cocaína e é uma junção de folhas de coca com produtos químicos como o querosene, cal virgem, e ácido sulfúrico. Tudo misturado se transforma numa pasta onde se concentra de 50% a 70% da cocaína. Excitante do sistema nervoso, causa euforia, aumento de energia e diminuição do sono e do apetite, alucinações, delírios e confusões mentais. Muitos usuários durante o uso da merla tem convulsões e perda de consciência.

LSD

Também conhecido como LSD21 é uma substância líquida a base de dietilamida do ácido lisérgico e é fabricada em laboratório. Produz profundas alterações mentais, provocando delírios e alucinações. No Brasil é comercializada em cartelas picotadas similares a um mata-borrão. Cada pequeno quadrado picotado recebe uma gota de LSD que o usuário coloca na pele ou embaixo da língua. É tão potente que doses de 20 a 50 microgramas já fazem efeito. Também conhecido como doce, ácido, papel, microponto e gota, seus efeitos duram de oito a doze horas. O uso faz com que a pessoa tenha ilusões e alucinações visuais e auditivas e os efeitos físicos do LSD são aumento da pressão arterial e freqüência cardíaca, náuseas, vômitos, suores intensos.

Heroína

Derivada do ópio é uma das drogas mais perigosas que se conhece, causando dependência física e psíquica. Danos cerebrais e envelhecimento acelerado são algumas das suas conseqüências. Quando usada seu efeito dura de quatro a seis horas.

Ópio

Seu sabor é amargo e um pouco acre. É feito com o suco resinoso (látex leitoso) retirado da planta papoula. Os principais alcalóides do ópio são morfina, paverina, codeína, tebaína e narceína. O preço é muito alto e são poucos os viciados nesse tipo de droga no Brasil. A droga age quimicamente no corpo humano e causa dependência física e psíquica. Os viciados ficam magros, com um tom amarelado na pele e cai sua resistência a infecções. O efeito dura até doze horas e a abstinência provoca suores, arrepios, tremores, insônia, vômitos e câimbras abdominais.

Êxtase

Ecstasy ou êxtase (no Brasil) é uma substância psicoativa chamada de metilenodioximetanfetamina (MMDA) e foi sintetizada por uma indústria farmacêutica em 1914. Há cerca de dez anos passou a ser usada por jovens de todo o mundo, que tomam os comprimidos com bebidas alcoólicas. O ecstasy age estimulando a produção de serotonina no cérebro, responsável pela sensação de prazer, por isso ficou conhecida como a “droga do amor” entre os adolescentes. O uso do êxtase eleva a pressão arterial e produz intensa elevação da temperatura (uma febre de até 42 graus) o que leva a uma intensa desidratação, por isso os jovens, bebem muita água após ingeri-lo. É muito utilizado em festas “raves”, quando jovens se reúnem para passar de três a quatro dias dançando e usando drogas. Taquicardia, secura na boca, diminuição do apetite, câimbras, dores musculares, dificuldade para andar são alguns dos efeitos. O uso contínuo pode causar lesões cerebrais irreversíveis, levando à depressão, paranóia, alucinações, perda do autocontrole e dificuldade de memória.

Boa Noite Cinderela

Usado no Brasil, Argentina, Estados Unidos e outros lugares do mundo o “Boa Noite Cinderela” é um conjunto de drogas: calmantes, lorazepam, flutnitrazepan e bromazepan. Essa mistura é conhecida como “rape drugs” (droga do estupro). É muito usada em golpes dados por rapazes e garotas, que em boates, bares e danceterias misturam a droga na bebida da vítima. Ao ingerir ela se sente sonolenta e é levada pelos golpistas, que estupram e roubam a vítima. O efeito do sono profundo pode durar até 24 horas.

Anfetaminas

São diversos os tipos de anfetaminas no mundo, feitas de diferentes substâncias, e em geral são consumidas junto com bebidas alcoólicas. O primeiro tipo de anfetamina foi sintetizada pela primeira vez no final do século passado na Europa para uso medicinal, mas já nas décadas de 30 ou 40 passou a ser usada com fins não medicinais e a moda se espalhou pelo mundo. É muito usada por atletas profissionais e amadores porque aumenta a capacidade física do usuário, fazendo com que a pessoa, sob o efeito da droga, consiga praticar exercícios físicos que normalmente não conseguiria.