Início da Revolução

Os Estados-Gerais se reuniram no palácio real de Versalhes, fora de
Paris, em 5 de maio de 1789. Eles eram compostos de três grupos: o clero, a
nobreza e o “terceiro estado”, ou o povo comum. Tradicionalmente, cada
grupo fornecia um voto.

Embora todos concordassem que o sistema financeiro do país
deveria ser reorganizado, o terceiro estado esperava
outras reformas também. Ele sugeriu que cada deputado desse um voto, sabendo
que ele teria a maioria. Maria Antonieta insistia para que o rei
se opusesse a essa sugestão. O terceiro estado retirou-se para uma quadra de tênis e
jurou não ceder até que uma constituição fosse escrita e
aceita. Eles se auto-intitularam a Assembléia Nacional.

Muitos do baixo clero,
que também sentiram uma necessidade de reforma, se juntaram ao grupo. Alguns
nobres também se renderam a ele. O apoio aumentou e Luís 16 foi obrigado a
reconhecê-los como os sucessores dos Estados-Gerais. Ao mesmo
tempo, ele ordenou que as tropas fossem para as adjacências de Paris. Os parisienses pensaram que o rei usaria as tropas contra a Assembléia,
destruindo a chance de ela conquistar uma voz ativa no governo. A população começou a
protestar, saqueou um fornecimento de armas e, em 14 de julho de 1789, rebelou-se e
destruiu a Bastilha, prisão que era vista como um símbolo
da opressão política.

Incentivados por essa demonstração bem-sucedida de
poder popular, os revolucionários criaram um novo governo para a cidade
chamado de Comuna. Luís 16 reconheceu o poder do povo,
visitando o novo prefeito da cidade e re-convocando um ministro popular que ele
havia dispensado.

A Revolução se espalhou rapidamente por toda a França e
os aristocratas começaram a fugir. Na Assembléia Nacional, os representantes da
nobreza e do clero estavam temerosos com as rebeliões e
inspirados pelo espírito democrático do povo. Em 4 de agosto, eles abriram mão
de todos os privilégios herdados. “Liberté, égalité, fraternité”
(Liberdade, Igualdade, Fraternidade) tornou-se o clamor galopante da Revolução. As velhas ordens social e política (antigo regime)
desapareceram completamente em menos de dois meses.