Tipos de propaganda

Autor: 
Alia Hoyt

Agora que já demos uma olhada nas técnicas e meios de propaganda, veremos alguns tipos de propaganda.

A propaganda política existe desde quando existem os políticos em busca de votos e aprovação do público. Embora o termo "propaganda" não tenha sido criado até 1622, técnicas de persuasão similares já foram usadas regularmente ao longo da história. A Bíblia conta a história de como um rei da Assíria usou a propaganda do medo em uma tentativa de persuadir o Reino de Judá a render-se [fonte: History.com - em inglês]. Diz-se que Júlio César (em inglês) promoveu as "Guerras Gálicas" para o fim expresso de impulsionar sua carreira, aumentando seu poder e expandindo sua reputação [fonte: History.com]. Hoje em dia, a propaganda política é comumente usada para recrutar e manter eleitores por meio de um aparentemente infindável fluxo de comerciais de televisão. Às vezes, esses comerciais retratam apenas as melhores qualidades do candidato mostrado, enquanto outros comerciais usam outras técnicas, como acusação ou medo para desacreditar ideias ou candidatos opostos. A técnica das características apelativas também é comum na propaganda política, bem como as charges políticas.

Como já vimos, a propaganda religiosa foi de fato o primeiro tipo oficial de propaganda. Os missionários trabalharam por séculos para recrutar outras pessoas para seus respectivos credos, seja através de comunicação face a face, panfletos, pôsters ou mídia difundida. A propaganda religiosa também é usada para espalhar ideias sobre questões específicas de moral e ética, incluindo o aborto e a controvérsia sobre religião nas escolas.

As seitas usam propaganda extrema para influenciar as pessoas a aceitar crenças particulares, frequentemente através de métodos de persuasão coagida. É este tipo de lavagem cerebral que convence as pessoas de que é uma boa ideia beber o suco envenenado ou cometer assassinatos para rituais. Para mais informações sobre as seitas, consulte Como funcionam as seitas .

Não importa o tipo de propaganda, todos eles são praticamente impossíveis de se evitar. A simples verdade é que poucas organizações, políticos ou religiões irão revelar voluntariamente informações que caracterizem suas crenças e objetivos como discutíveis. Para estar realmente informado sobre um determinado tópico, é necessário fazer pesquisa própria com o uso de recursos confiáveis.

Apenas após estudar os componentes chave de uma peça de propaganda (como quem está pagando pela mensagem, que organização ou pessoa criou a mensagem e quais palavras e imagens são usadas para trabalhar com seus sentimentos e simpatias) uma pessoa pode sinceramente tomar uma decisão informada sobre a mensagem ser real ou ter propósitos ocultos.

Propaganda ou literatura?

Às vezes, livros inteiros são peças de propaganda. O pensador comunista
Karl Marx escreveu "O Manifesto do Partido Comunista" para divulgar suas ideias de
utopia (uma sociedade perfeita) e como ela poderia ser alcançada através do governo
comunista. Outro exemplo famoso é o romance de Harriet Beecher Stowe,
"A Cabana do Pai Tomás", que retrata as atrocidades da escravatura no
Sul dos Estados Unidos.

Quando é uma peça de propaganda do governo, contudo, a história é diferente. De acordo com Mark Wollaeger, Ph.D., professor da Universidade Vanderbilt, o uso de verba do governo para impulsionar a propaganda é ilegal nos Estados Unidos desde 1951. Mas foi apenas em 2005 que a administração de George W. Bush (em inglês) sancionou a carta "Parem a Propaganda do Governo Já" em lei. A carta foi criada devido a alguns atos claros de propaganda cometidos por agências do governo, como pagar a repórteres de televisão para mudar suas mensagens. A carta exige que todos os comunicados de imprensa impressos ou em áudio indiquem claramente qual agência do governo financiou sua criação e divulgação. Sob essa lei, é ilegal manipular financeiramente os meios de notícias.

Perceba que as leis e regulamentos de propaganda variam de um país para o outro, e algumas nações não possuem políticas formais sobre propaganda.

A seguir, veremos as famosas propagandas geradas pela Primeira  (em inglês) e Segunda Guerra Mundial (em inglês).