Para ser um policial federal

Autor: 
Fátima Souza

Para ingressar na Polícia Federal, o candidato deve ter curso superior (desde 2001 é obrigatório ter faculdade para concorrer a qualquer cargo, seja de investigador ou delegado) e prestar um concurso público. Há exames escritos e oral, além de teste de resistência física. A concorrência é grande, já que os salários são altos em comparação com a média brasileira. Em março de 2008, o salário mensal inicial de um delegado da PF era R$ 12.900 e de um investigador de R$ 5.700. 

Aprovado, ele tem que fazer um curso na ANP – Academia Nacional de Polícia, uma escola que foi inaugurada em 20 de fevereiro de 1979, que fica em Brasília, numa área de 600 mil metros quadrados. Lá o aluno faz diversos tipos de cursos. O aluno adquire conhecimento sobre a atividade policial, manuseio e uso com destreza e segurança de armas de fogo e passa também por mais um rigoroso preparo intelectual, psicológico e físico. Curso de armamento e tiro (inclusive com fuzis), treinamento com veículos em direção defensiva, cursos de segurança de autoridades (onde aprendem como fazer escoltas) e operações táticas, onde aprendem a invadir locais de crimes.

No curso de educação física, aprendem técnicas de defesa e ataque em uma ação. Também faz parte do curso a aprendizagem de informática, com equipamentos de última geração; laboratório de perícia onde, com equipamentos moderníssimos aprende como periciar um local de crime . É um curso onde o aluno tem que treinar muito durante quatro meses e com o risco de não ser admitido no final, porque pode ser desligado por falta de aproveitamento das matérias.

Os policiais federais acabam depois atuando em várias áreas do país e em diversos departamentos assim que entram. Uma prática comum para conhecer a instituição e também ver aonde o profissional melhor se adapta.