Abordando controvérsias

Autor: 
Katherine Neer

Foto cedida pelo Clinton Presidential Center

Para escrever suas memórias, a Sra. Ronald Reagan usou o diário que manteve enquanto residiu na Casa Branca. A história tem início em 30 de março de 1981, o dia em que seu marido, o presidente Ronald Reagan, foi baleado. A partir daí a narrativa se adianta e recua no tempo cobrindo vários assuntos, inclusive sua assaz criticada dependência de astrologia e seu relacionamento com Joan Quigley, a astróloga de San Francisco:

"Quando Joan vinha a mim com conselhos sobre datas específicas, eu chamava Michael Deaver, o responsável pela agenda de Ronnie, se fosse preciso. Às vezes, uma pequena alteração era feita ... embora a astrologia fosse um fator determinante da agenda de Ronnie, esse nunca foi o único e nenhuma decisão política jamais se baseou nele".

A Sra. Reagan trata de uma série de outros tópicos, incluindo:

  • sua reputação de ser uma "manipuladora política sedenta por poder" e uma "perversa dama vingativa";
  • Ronald Reagan e como ela o conheceu;
  • seus filhos (Patti e Ron) e seus filhos adotivos (Maureen e Michael);
  • as campanhas eleitorais de 1976 e 1980;
  • a vida na Casa Branca;
  • o caso Irã-Contras;
  • os Gorbachevs.

Uma lenda viva
Logo depois de seu lançamento, o livro de memórias de Hillary Clinton foi criando e quebrando todo tipo de recorde editorial. As vendas do livro foram tão elevadas já na primeira semana que a editora conseguiu recuperar os quase US$ 3 milhões em luvas (e depois mais) que havia pago adiantado a Hillary Clinton.

Meus oito anos na Casa Branca testaram minha fé e minhas crenças políticas, meu casamento e a Constituição de nosso país. Eu acabei me tornando um pára-raios para todo tipo de batalha política e ideológica travada sobre o futuro dos Estados Unidos, e um chamariz de emoções, boas e más, sobre as escolhas e papéis das mulheres. Este livro é o relato de como eu vivi aqueles oito anos como primeira-dama e como esposa do presidente.

Hillary Rodham Clinton

Até a presente data foram vendidas cerca de 1,8 milhão de cópias das memórias da Sra. Clinton. Diversos fatores contribuíram para a primeira rodada de vendas de "Vivendo a História", em especial certos elementos de controvérsia envolvendo a passagem dos Clinton pela Casa Branca e comentários sobre uma possível candidatura da ex-primeira-dama à presidência da nação. Com o livro de memórias do marido chegando às prateleiras, é bastante provável que seu livro gozará de outro surto de popularidade.

Confira os links na próxima página para obter mais informações sobre memórias presidenciais e assuntos relacionados.