O alfabeto da linguagem de sinais

A linguagem americana de sinais é uma linguagem visual que incorpora gestos, expressões faciais, movimentos da cabeça, linguagem corporal e até o espaço ao redor do falante. Os sinais manuais são a base desta linguagem. Muitos deles são icônicos, o que significa que o sinal usa uma imagem visual que se parece com o conceito que representa. Por exemplo, para expressar o conceito de "veado" em ASL, você colocaria as duas mãos nas laterais da cabeça, com os dedos abertos para representar os chifres. As ações normalmente são representadas através de sinais manuais que imitam a ação que está sendo comunicada: se você quisesse sinalizar o conceito de "comer" (em inglês) você juntaria os dedos da sua mão dominante como se estivesse segurando uma comida e então movimentaria a mão em direção à sua boca.

alfabeto

O alfabeto é uma importante série de sinais. Alguns sinais manuais de letras parecem com a forma escrita de sua respectiva letra. Quando você usa os sinais manuais de letras para formar uma palavra, você está soletrando com os dedos. Soletrar com os dedos é útil para sinalizar nomes (em inglês) ou para perguntar a alguém o sinal de um conceito específico. A ASL utiliza sinais de uma mão para cada letra do alfabeto, mas algumas outras linguagens de sinais usam ambas as mãos para algumas letras. Muitas pessoas acham que soletrar com os dedos é o obstáculo mais difícil no aprendizado dos sinais, uma vez que os usuários desta linguagem são muito rápidos ao soletrar com os dedos.

Para expressar uma ação em andamento como um "pensamento", você faria o sinal de "pensar" duas vezes numa linha. Alguns sinais em ASL podem servir tanto para um substantivo quanto para um verbo, dependendo de como você os sinaliza. Geralmente, você usa gestos maiores para sinalizar um verbo e gestos menores, que podem ser duplicados, para sinalizar um substantivo. Isso pode confundir. O sinal de "comida" é o mesmo que dobrar o sinal de "comer". O sinal de "comendo" também é uma repetição do sinal de "comer". Nestes casos, o ouvinte normalmente sabe o que você quer dizer pelo contexto das suas frases ou pelo tamanho dos seus gestos.

Inflexões
Quase todos os sinais podem ser mudados. Enrugar as sombrancelhas, inclinar a cabeça, inflar as bochecas ou mexer o corpo pode mudar o significado do que você está falando. Qualquer inflexão que não requer as mãos é chamada de sinalização não-manual. Um falante ASL fluente pode compartilhar muita informação com apenas alguns gestos feitos com sinalizações não-manuais.

Outra forma de mudar sinais, principalmente sinais de ações, é alterar a velocidade com que você faz o sinal ou direcionar o sinal. Se você fizer o sinal de "comer" bem devagar, por exemplo, você pode estar dizendo que comeu com calma. Para direcionar conceitos, você orienta os sinais numa direção específica para dar um significado específico. Se você quisesse dizer a frase "Eu te dei um presente" para o seu ouvinte, você faria o sinal de "dar" na direção dele, seguido pelo sinal de "presente". Não é necessário fazer sinais para "eu" ou "você"; porque eles ficaram subentendidos quando você direcionou o sinal.

Veremos a gramática ASL a seguir.