Onde se comemora a festa junina

Autor: 
Christianne Visvanathan

Brasil e Portugal mantêm até hoje o costume de homenagear com festas os santos com aniversário em junho. As comemorações são bastante populares no Nordeste brasileiro, em Portugal continental e nos Açores.

No Brasil, as comemorações se concentram entre os dias 23 e 30 de junho – semana em que se comemoram os aniversários de nascimento de São João (24) e de morte de Pedro (29).

Normalmente, Santo Antônio é homenageado com celebrações ecumênicas no dia 13. Em todas as regiões, principalmente nas cidades do interior, as igrejas e as comunidades organizam missas e procissões em sua devoção, mas é São João o santo reverenciado com as grandes festas.

Os Estados que realizam os maiores eventos são Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Nesses locais, crianças e idosos se divertem com concursos de quadrilhas, queima de fogos de artifício, fogueiras, barracas de comida espalhadas pelas ruas e brincadeiras, como o pau-de-sebo (pessoas tentam subir num mastro untado com sebo de boi.

 

Abertura do são João, em Campina Grande
Prefeitura de Campina Grande/Divulgação
Abertura do São João em Campina Grande

 
Quem chega ao fim do mastro, recebe pequenos prêmios, como doces, brinquedos de plástico e bichos de pelúcia) e a cabra cega (adultos e crianças de olhos vendados tentam romper com pauladas um pote de doces e brinquedos que é amarrado no alto de um pau. Cada um tem três chances para tentar quebrar o pote. Quando ele é rompido, os participantes se amontoam para pegar os doces caídos no chão.

Um costume antigo ainda é realizado nas cidades pequenas do Nordeste brasileiro - o de visitar as casas. Amigos se reúnem em grupos e vão por toda a cidade, batendo de porta em porta e perguntando: “São João passou por aí?” Quem responde sim, convida os visitantes para comer, beber e dançar forró.

As mesas costumam ser fartas e têm amendoim e milho assados e cozidos, canjica (doce feito com farinha de milho, leites de vaca e de coco, canela, cravo, sal e açúcar), pamonha (doce feito com milho verde, açúcar e coco ralado), bolos de aipim, de milho e de fubá (massa feita com milho), cuscuz de tapioca, pipoca e licores variados – os mais populares são os de maracujá, de jenipapo e de coco.

 

Canjica
Caípa/Reprodução
Canjica, um dos doces
de milho das festas juninas
Pamonha
Tempo Mulher/Reprodução
Pamonha, um dos doces
de milho das festas juninas

Nos municípios maiores, nos anos 80, a tradição de visitar as casas deu lugar a grandes festas em clubes, praças, parques e quadras esportivas, e as bandas de São João passaram a desfrutar de fama semelhante à dos grupos de Carnaval. Atualmente, multidões tomam as ruas de cidades como Caruaru (Pernambuco), Campina Grande (Paraíba) e Senhor do Bonfim (Bahia), para assistir a shows de grandes estrelas do forró e da música caipira.

Nas grandes festas de rua e nas quadras, as barracas de alimentos acrescentaram ao cardápio junino uma bebida popular chamada de “quentão” (mistura de cachaça com açúcar, cascas de limão e de laranja, gengibre, cravo, canela e maça). Também costumam vender sanduíche de pernil de porco, cachorro quente e pastel.