Vantagens e desvantagens da educação bilíngüe

Autor: 
Christianne Visvanathan

Vantagens

Aprender com fluência um segundo idioma abre muitas portas. Na hora de concorrer a uma vaga de emprego, prestar concurso público, viajar para o exterior, as pessoas que dominam uma segunda língua levam vantagem.
Pesquisas realizadas por agências que oferecem empregos revelam que, em média, uma pessoa que domina o segundo idioma pode ganhar até 70% a mais do que um monoglota. Além disso, um indivíduo bilíngüe terá muito mais facilidade de continuar os seus estudos em outro país, sem prejuízos na sua formação. O domínio do segundo idioma também exerce um papel preponderante na formação cultural de um indivíduo e o torna mais aberto às transformações.

Educação bilíngüe
Robert Hunt/Istock

A formação simultânea em um segundo idioma também evita a pressão psicológica em ter de se acostumar aos fonemas de uma nova língua na adolescência ou na fase adulta, período em que já é mais difícil o aprendizado em conseqüência do trabalho e da vida social intensa.

Riscos e custos da formação bilíngüe

A pressão para falar precocemente um outro idioma pode levar a criança a uma aversão ao aprendizado, quando o mesmo não é direcionado da maneira correta. Os especialistas revelam que a alfabetização em duas línguas ao mesmo tempo, em alguns casos, pode atrasar o desenvolvimento da escrita nos dois idiomas.

Outra desvantagem em relação às escolas tradicionais é o preço. Manter o filho em uma escola bilíngüe custa caro. Em média, as mensalidades são 50% mais caras do que em escolas que não oferecem esse serviço. Em janeiro de 2008, o custo médio de uma formação bilíngüe ficava em torno de R$ 1.500, em São Paulo.

O intercâmbio pode ser uma opção interessante e mais barata para os pais que desejem que seu filho tenha fluência em outra língua. Pessoas que passaram por um intercâmbio de um ano possuem um vocabulário semelhante ao de estudantes bilíngües, com a diferença de que terão mais sotaque.