Como funciona o carma

Autor: 
Sarah Dowdey

A idéia do novo carma secularizado tornou-se o centro das atenções. Jornais e revistas usam a palavra para tornar suas matérias mais interessantes. Restaurantes adornam suas jarras de gorjetas com sinais prometendo um ótimo carma por apenas um dólar ou dois. Cantores refletem sobre o poder de um carma vagamente vingativo em canções como "Instant Karma" e "Karma". De acordo com a Administração de Segurança Social (em inglês) dos EUA, "Karma" ficou entre os mil nomes de bebês (em inglês) mais usados para meninas em 2006 [fonte: SSA (em inglês)]. Mas o que é carma e como ele foi transplantado da religião oriental para a cultura popular ocidental?

Novice Buddhist monks
Khin Maung Win/AFP/Getty Images
Monges budistas novatos rezam em Myanmar

O carma é um conceito central nas religiões orientais como o hinduísmo, budismo, siquismo e o jainismo. A palavra "carma" vem do sânscrito "karman", que significa "agir". Em geral, acredita-se que as ações influem na qualidade de nossa presente vida e nas futuras. Boas ações criam um bom carma e más ações, um carma negativo. Os efeitos do carma podem se manifestar imediatamente, no final da vida ou após muitas vidas. Algumas religiões vêem o carma como a lei que rege a reencarnação. Outras acreditam que o carma é algo particular, que acompanha nossa alma e precisa ser removido através de atos de devoção.

No Ocidente, a idéia relativamente moderna de carma não é bem uma realidade espiritual e sim, uma espécie de sorte influenciada por boas ações. É uma tentativa atraente em influenciar a sorte, algo aparentemente fora do nosso controle, com ações específicas. A maioria das pessoas concordaria que é razoável acreditar que o bom comportamento seja digno de uma recompensa e de que o mau comportamento seja punível. O carma também é uma maneira conveniente de explicar sofrimentos aparentemente aleatórios. Numa geração racional, o carma é uma forma popular e legitimizada de superstição, diferente da reencarnação.

Mau carma

Opiniões ofensivas e mal expressadas sobre a reencarnação e o carma fizeram com que o técnico de futebol da Inglaterra, Glenn Hoddle perdesse seu emprego em 1999. O técnico, que acredita em reencarnação, sugeriu que as pessoas sofriam de deficiência como resultado de um mau carma de vidas passadas. Ele disse ao London Times: "nós recebemos duas mãos, duas pernas e um cérebro. Algumas pessoas não nascem assim por uma razão. O carma está agindo de outras vidas". O alvoroço público causado pelos comentários acabaram forçando a Associação de Futebol a romper o contrato com Hoddle [fonte: BBC (em inglês)].

Neste artigo, vamos aprender sobre o carma nas religiões e filosofias orientais e na cultura popular ocidental.