Noções básicas de autópsia

Autor: 
Robert Valdes

Para compreender como funciona uma autópsia, vamos entender primeiro o que é e por que é feita.


Imagem cedida por Sacramento County Coroner's Office
Várias autópsias são feitas ao mesmo tempo no Sacramento County Coroner's Office, Gabinete de Perícia Criminal do Condado de Sacramento

Autópsia é o exame médico de um corpo para determinar a causa mortis. Ela é feita quando alguém morre subitamente e de forma inesperada, estando aparentemente com boa saúde. As autópsias podem também ser feitas a pedido da família do morto.

Há dois tipos de autópsias:

  • forense
  • clínica
O preço do conhecimento
Uma autópsia particular pode custar entre US$ 1.500 e US$ 3.200.

A autópsia forense ou autópsia médico-legal é aquela vista freqüentemente na TV e no cinema. De acordo com o Dr. Kiesel, "a autópsia forense gasta quase o mesmo tempo nas superfícies externas do corpo e nas superfícies internas, porque é onde ficam as evidências". As autópsias forenses tentam encontrar respostas para a causa da morte como parte de uma investigação policial geral.

A autópsia clínica geralmente é feita nos hospitais pelos patologistas ou pelo médico responsável, para determinar a causa da morte com fins de pesquisa e de estudo. O Dr Kiesel explica:

    "Eles, na verdade, estão interessados nos processos de enfermidade existentes e em fazer aquela correlação clínico-patológica. Alguém chega com tais sintomas, aqui está o tratamento que recebeu e aqui estão as minhas descobertas. Eles juntam todos os dados para ajudar a informar para as pessoas o que aconteceu ou o que pode ter acontecido".

Para a lei, todas as mortes caem em uma das 5 categorias possíveis. Na próxima seção, vamos analisá-las.

A TV mostra a realidade?

Em programas de TV como CSI (em inglês) ou Arquivo X (em inglês), os médicos legistas parecem ser o componente principal da investigação e podem usar evidências fornecidas pelo DNA para quase tudo. O Dr. Kiesel comentou os erros mais mostrados pela TV:
    "Não saímos e fazemos toda a investigação. Não somos a polícia. Temos a nossa parte, a polícia tem a dela. A autópsia nem sempre dá todas as respostas. Se alguém cometer suicídio, a autópsia vai determinar porque a pessoa morreu, o que a matou, mas não necessariamente porque ela fez isso. Deste modo, nem todas as respostas estarão lá".

    "Não podemos fazer DNA em todos os casos e encontrar uma relação para cada detalhe. Embora isso aconteça na TV, não está dentro das nossas capacidades. Nem sempre isso é feito no laboratório. Às vezes, há restrições financeiras para o que podemos fazer".