Como funcionam as autópsias nos EUA

Autor: 
Robert Valdes
­autópsias

­Quando alguém morre em circunstâncias misteriosas, o que acontece em seguida? A maioria dos estados americanos tem leis exigindo que certos tipos de morte sejam investigados:

  • lesão
  • complicações tardias das lesões
  • envenenamento
  • complicações infecciosas
  • violência
  • pessoas que morrem sem acompanhamento médico

Se o tipo de morte se enquadra em qualquer um dos critérios acima, precisa ser relatada ao médico legista ou ao perito criminal, para investigação e determinação legal da causa mortis. O recurso principal dessa análise é a autópsia.


Imagem cedida por Sacramento County Coroner's Office
Um corpo para ser examinado em uma sala de autópsia

O processo de examinar um cadáver para descobrir a causa mortis é tema de muitos programas e filmes de TV, mas os fatos nem sempre são tão precisos. Em uma entrevista com Eric Kiesel, subdiretor legista do condado de Fulton, em Atlanta, o HowStuffWorks descobriu os mistérios desse processo, que costuma ser mal compreendido. Aprendeu também os detalhes do preparo, procedimentos e instrumentos necessários para realizar uma autópsia.

 

Conheça o Dr. Kiesel
Dr. Kiesel é subdiretor legista do condado de Fulton. É patologista forense desde 1985. Este é um pequeno currículo dele:
  • estudou no Louisiana State University Medical Center, em Nova Orleans;
  • fez estágio em Medicina Interna, no programa Tufts do New England Medical Centers;
  • completou dois anos de residência em Anatomia Patológica, em Seattle, nos hospitais filiados à University of Washington;
  • recebeu uma bolsa para um ano de pesquisas em Patologia Forense, como médico legista assistente da região de King, em Seattle;
  • fez um ano de treinamento na subespecialidade forense;
  • foi o primeiro membro da Washington State Forensic Pathology;
  • foi contratado como perito criminal, atuando no condado de Snohomish, Washington;
  • ajudou a criar a legislação que converteu o sistema de peritos criminais do condado de Snohomish em um sistema de médicos legistas;
  • trabalhou no condado de Snohomish de 1987 a 1997;
  • em setembro de 1997, mudou-se para Atlanta, Georgia e começou a trabalhar no sistema Fulton County Medical Examiner (Medicina Legal do Condado de Fulton).

Quando perguntamos por que quis ser médico legista, Dr. Kilsen respondeu:

    "Comecei estudando patologia ambiental. Eu tinha Ph.D. em Química Analítica. Fiquei amigo de um médico legista em Seattle e, quando surgiu a oportunidade para uma bolsa de pesquisa, aproveitei a chance. Como achei a área fascinante, continuei trabalhando".