Como funcionam os Anos 80

Autor: 
Sílvio Anaz
Anos 80

A moda e os cortes de cabelo eram de gostos duvidosos. Mas a música, o cinema, os videogames e a globalização da cultura pop fazem dos anos 80 uma época nostálgica, até mesmo para quem não vivenciou aqueles tempos. Para os jovens brasileiros, a década trouxe ainda um clima de liberdade, conquistada com o final do período da ditadura militar (1964-1985) e o processo de redemocratização do país.

B 52s
Reprodução
O B-52's foi um autêntico representante do visual
e da sonoridade da new wave dos anos 80

No campo da música jovem, nunca o rock foi tão diversificado nem se confundiu tanto com o gênero pop, como nos anos 80. Tanto lá fora como aqui. Os sucessos iam do new wave de Talking Heads e B-52’s ao gótico de Siouxsie & The Banshees e The Cure, passando pelo rock alternativo de The Smiths e U2, o eletrônico de New Order e Depeche Mode e o pop-rock brasileiro de Legião Urbana, Paralamas do Sucesso e Titãs. Já a música pop reinava nas vendagens e na parada de sucesso comandada pelos fenômenos Michael Jackson e Madonna.

Transformers
Reprodução
Nostalgia dos anos 80: "Transformers", sucesso televisivo na época, voltou em 2005 desta vez no cinema

No cinema, a hegemonia dos filmes teens rendeu “clássicos” como “Curtindo a Vida Adoidado” (dir. John Hughes, 1986) e “A Garota de Rosa-Shocking” (dir. Howard Deutch, 1986), além das seqüências arrasa-quarteirões de Indiana Jones, “Guerra nas Estrelas” e “De Volta para o Futuro”. Apesar dos sucessos do cinema, o entretenimento nos anos 80 foi cada vez mais para dentro das residências. Graças à popularização da tecnologia digital, com os CDs, os videocassetes, os computadores pessoais e os videogames, que iniciaram uma nova era e uma nova tendência da cultura jovem.

Mas nem tudo foi diversão. O avanço da Aids potencializou preconceitos e intolerâncias, a ascensão de uma mentalidade ultraliberal na economia foi comandada pelos governos conservadores de Ronald Reagan nos EUA e Margaret Thatcher no Reino Unido e a Guerra Fria manteve a paranóia do holocausto nuclear. A juventude passou a ser um valor dominante e todos saíram em busca dela. Parte dos adolescentes aderiu aos princípios da “geração saúde” e muitos dos adultos passaram a tentar aparentar e se comportar como jovens.

Conheça nas páginas a seguir um pouco mais sobre a cultura e o comportamento jovem nos anos 80.

 

De volta aos anos 80

Para tentar reviver as emoções e o clima dos anos 80, há toda uma produção cultural nostálgica. Do retorno e relançamento de grupos musicais (The Police, Capital Inicial, Ira!) à transformação em filme de séries televisivas (Miami Vice, Transformers), que fizeram sucesso naqueles tempos, a nostalgia pela década de 80 atingiu também aos mais jovens, pessoas que sequer tinham nascido naquele momento. Nas pistas de clubes noturnos, saudosistas e novas gerações têm dançado ao som de sucessos daquela década, assistido com um interesse antropológico aos primeiros videoclipes da era MTV e tentado se divertir com os videogames “clássicos” do Atari. Visionariamente, o fenômeno da nostalgia pelos anos 80 foi previsto num dos grandes sucessos do cinema da época. O filme “De Volta Para o Futuro 2” (dir. Robert Zemeckis, 1989) traz uma cena em que o personagem interpretado por Michael J. Fox, após viajar no tempo de 1985 para 2015, entra em um bar temático sobre os anos 80, que faz sucesso com objetos daquela década e toca hits oitentistas de Michael Jackson.