3. África e Ásia: Cérebro de macaco

Autor: 
Gisele Ribeiro

Cérebro de macaco servido na cabeça do bicho no filme 'Indiana Jones e o Templo da Perdição'
Reprodução
Cérebro de macaco servido na cabeça do bicho no filme 'Indiana Jones e o Templo da Perdição'

A cena ficou imortalizada no filme "Indiana Jones e Templo da Perdição": em um jantar repleto de comidas impensáveis, cabeças de macaco são servidas aos convidados com o cérebro exposto para o consumo. Mas em países como a China, a Malásia, o Vietnã, a Indonésia e Tailândia, o miolo do macaco é retirado da cabeça, limpo, cozido e servido com molho temperado em um prato comum. O miolo do animal é rico em gordura, proteína e fósforo, mas muitos o consomem por acreditar que podem ficar mais inteligentes.

Em outros países da Ásia e na África, há quem prefira comer o cérebro diretamente no crânio do animal ainda vivo. Aos olhos das sociedades protetoras de animais, a prática é uma atrocidade. O animal é mantido vivo, preso em uma gaiola de ferro com a cabeça para fora, como numa bandeja, e depois de ter os pelos raspados e a cabeça lava, a tampa do crânio é retirada. Munidos de uma colher especial, os comensais se servem do cérebro ainda pulsante do animal agonizante.