10 versões nada infantis dos contos de fadas

Autor: 
Sílvio Anaz
10 versões nada infantis dos contos de fadas

Era uma vez uma garota que começou a se despir e jogar suas roupas na fogueira a pedido de um lobo peludo que fingia ser sua vovozinha... Pode parecer, mas isso não é uma versão pornô da história de Chapeuzinho Vermelho. A cena descrita faz parte de uma dentre as 35 versões existentes na cultura popular ao redor do mundo para essa historinha, antes dela ser consagrada como um conto de fadas nos textos dos alemães Jacob e Wilhelm Grimm, no século 19. Narrativas populares como Chapeuzinho Vermelho foram durante séculos transmitidas oralmente de geração para geração e muitas delas eram similares mesmo surgindo em culturas distantes. Mas, nem sempre eram para crianças e raramente tinham finais felizes.

Muitas das narrativas que deram origem aos mais populares contos de fadas surgiram entre o século 6 antes de Cristo e a Idade Média, mas há indícios de que algumas delas podem ser mais antigas ainda. Eram histórias inventadas normalmente para dar dicas de sobrevivência de uma geração para outra e espalharam-se pelo planeta graças ao deslocamento das pessoas e também às rotas comerciais. Na moral de cada historinha estava a ideia de prevenir adultos e crianças sobre ameaças e violências do mundo ao redor. Para fazer isso, elas não economizavam nas cenas sangrentas ou nos personagens cruéis. Nas próximas páginas, conheça dez versões nada infantis de alguns dos mais famosos contos de fadas.