As Duas Grandes Guerras

Autor: 
Sílvio Anaz

Desde a Revolução Industrial, as principais potências do mundo, em busca de mercados para suas crescentes produções, partilharam o planeta, com suas colônias e áreas de influência. No começo do século 20 esse modelo esgotou-se e os países ricos temerosos uns dos outros constituíram exércitos fortes. Mas o desejo expansionista fez com que um incidente na Áustria na primavera de 1914 servisse de pretexto para aquele país declarar guerra contra a Sérvia. A Rússia tomou partido dos sérvios temendo a aproximação do exército austríaco de suas fronteiras e a Alemanha aliou-se à Áustria. A partir daí vários países europeus se envolveram e um conflito sanguinário - a Primeira Guerra Mundial - estendeu-se por mais de quatro anos com quase 20 milhões de mortos. A participação da Rússia na guerra foi um dos motivos para a revolução bolchevique que levou ao surgimento da União das Repúblicas Socialista Soviéticas.

Momentos Históricos
© iStockphoto.com /John Cairns

O fim do conflito deixou entre outros legados uma situação de miséria e humilhação nas duas principais nações derrotadas: Áustria e Alemanha. Essa situação alimentaria a intolerância, a revolta e um perigoso nacionalismo nos anos seguintes. No fim da década de 1930, o povo alemão mergulhado na miséria e no desemprego foi levado a uma nova guerra. Essa Segunda Guerra Mundial teve de um lado países com governos autoritários, como Alemanha, Itália e Japão, e do outro países democráticos, como França, Inglaterra e Estados Unidos. Os conflitos desenrolaram-se de 1939 a 1945 e provocaram a morte de cerca de 70 milhões de pessoas. Ao final da guerra, emergiram duas superpotências com dois sistemas econômicos e políticos opostos: os Estados Unidos, com sua democracia liberal, e a União Soviética, com seu modelo de socialismo.